CONSAD: Oportunidade de trocar experiências

Entrevista Leonardo Salgado.

Conversamos com Leonardo Salgado sobre o Congresso Nacional de Saúde e Atenção Domiciliar – CONSAD, que acontece nos próximos dias 13 e 14/07 em Salvador (www.consadsaude.com.br) . Leonardo é Médico Geriatra, Diretor Médico da Assiste Vida Atenção Domiciliar e Diretor Regional do Núcleo Nacional de Empresas de Atenção Domiciliar – NEAD. Confira:

 

CHC: Nesse ano o CONSAD entra em sua segunda edição trazendo discussões em muitas áreas da Atenção Domiciliar. Na sua opinião, por que as partes interessadas devem participar do congresso?

Leonardo: Porque em um evento como este, as pessoas que fazem a atenção domiciliar têm a oportunidade de trocar experiências, discutir os diversos problemas que as aflige e ouvir pontos de vista diferentes sobre o tema. Em um evento como o Consad os participantes têm a oportunidade de trocar experiência, esclarecer dúvidas sobre pontos específicos do segmento e, principalmente, atualizar-se nas tendências de mercado.


CHC: Qual tema merece mais destaque e uma discussão analítica, especialmente por parte dos congressistas?

Leonardo: Na minha opinião dois temas merecem uma discussão mais aprofundada: o modelo assistencial e os modelos de remuneração. Hoje o modelo assistencial da atenção domiciliar vigente na iniciativa privada é diferente do modelo assistencial da atenção domiciliar vigente no SUS. O modelo do SUS é menos assistencial e por isso consegue ter uma maior abrangência, estando presente em municípios menores, além dos grandes. Já o modelo presente na saúde suplementar acaba tendo limitação na sua abrangência pois precisa de serviços de saúde acessórios que não estão presentes em pequenos municípios. O ponto de encontro entre estes dois modelos, com foco na necessidade e segurança do paciente, pode resultar num modelo que permita à atenção domiciliar se disseminar por vários municípios menores, levando seus benefícios à uma maior população atendida.

Quanto ao modelo de remuneração, entendo o momento crítico que a maioria dos planos de saúde passam com a redução do número de vidas, mas as empresas de atenção domiciliar chegaram no limite de suas margens e já vemos uma falta de investimento no setor e até fechamento de algumas empresas. Temos que encontrar o quanto antes, uma solução para esta crise econômica do setor de serviços da atenção domiciliar.


CHC: O que esperar do evento?

Leonardo: Podemos esperar um evento plural, muito diversificado, com uma representatividade deste imenso país, temos inscritos de todos os estados, experiências de pessoas e empresas das mais diversas tanto no âmbito da saúde suplementar como do SUS.


CHC: Qual é a mensagem que um evento como o CONSAD precisa deixar para o mercado.

Leonardo: A atenção domiciliar é um segmento do setor saúde que já é uma realidade sem possibilidade de extinção. A sociedade cada vez mais precisa destes serviços e nós que os realizamos estamos dispostos a discutir o como estes devem ser prestados, sempre com o foco na necessidade e segurança do paciente.

Deixe uma resposta

%d bloggers like this: