Crescem reclamações dos serviços de Home Care

Levantamento realizado pela equipe do Conexão Home Care a partir de dados do site Reclame Aqui, espaço para reclamações na internet aonde o consumidor pode exercer sua cidadania expressando sua reclamação quanto a atendimento, compra, venda, produtos e serviços, revela que o volume de reclamações do segmento já foi menor e está crescendo.

O período de coleta compreendeu junho/2009 a outubro/2011. Neste espaço de tempo os consumidores de serviços de Home Care realizaram 117 reclamações ao todo. Em 2011 o volume de reclamações cresceu 97% comparativamente a 2010, revelando um comportamento mais consciente e consistente do consumidor sobre os seus direitos e acerca de um segmento que está crescendo em ritmo acelerado no Brasil.

As reclamações tratam de descaso de empresas prestadores de serviços, falta de cobertura de insumos como materiais descartáveis e determinados medicamentos pelas operadoras de saúde, falta de liberação da internação domiciliar, dificuldades de atendimento e solução do problema junto à prestadora e operadora, troca de empresas sem o devido cuidado quanto à qualidade da assistência, entre outras.

Para conhecer as reclamações basta acessar o site do Reclame Aqui, em http://www.reclameaqui.com.br, digitar a palavra Home Care e clicar nas diversas reclamações para conhecer o conteúdo.

Gráfico com a evolução das reclamações do setor.

12 Comentários

    • MONICA MAGNANI DONATO
      20/05/2012

      Boa noite,

      Meu nome é Monica Magnani Donato, advogada, filha da paciente DALILA SANTOS MAGNANI, que se encontra em home care pela empresa PRONEP.
      Minha mãe ficou doente foi internada em hospital da região do ABC, Estado de São Paulo / Brasil, com 89 anos de idade.
      Recebeu alta e foi encaminha a minha residência em home care.
      A empresa escolhida pela companhia de saúde foi a PRONEP.
      Lendo seu site há informações que não condizem com a verdade.
      A PRONEP é uma empresa que não prima pela qualidade no sentido da logística, gestão e organização.
      Durante todo este período em que necessito entrar em contato com a empresa tem sido desgastante dia a dia.
      Cada vez que tenho um problema sou encaminhada a um departamento e falo com uma pessoa diferente.
      O principal problema tem sido a desorganização a respeito da escala de enfermagem
      Para quem não sabe o que falo vou esclarecer.
      Todo COMEÇO DO MÊS, é enviado para a empresa PRONEP a escala de folgas das enfermeiras.
      Desta feita, no início do mês, se houvesse organização e logística, todos os plantões deveriam ter funcionários substitutos para tais necessidades.
      Stand by ou retaguarda (assim são chamadas as profissionais) elas continuam sendo funcionárias da cooperativa a qual presta serviço à PRONEP, tem seus nomes inscritos na empresa.
      O que estou querendo dizer é que há uma força de gerenciamento antecipado, mesmo com problemas de última hora como no caso de algum profissional enfermo.
      Além destes auxiliares e técnicos de enfermagem a PRONEP conta em seu quadro funcional com profissional de enfermagem padrão.
      Porém, estes somente são requisitados em caso de urgência.
      Como todo familiar de enfermo, vivo constantemente em atenção e tensão.
      Como leigos só temos que confiar nas profissionais que nos são enviadas, bem como na empresa que está fornecendo todos os materiais e profissionais da saúde.
      Minha área não é esta, sou profissional de direito. A minha função é agir de forma que todos os contratos sejam cumpridos.
      Se o plano de saúde contratou uma empresa para agir de forma competente creio eu que nós familiares deveríamos ficar tranquilos que o serviço contratado esteja sendo prestado de forma competente e com presteza, cuidado, atenção e não de forma leviana, que é o que tem acontecido.
      Minha mãe paga R$. 1.334,79 (um mil trezentos e trinta e quatro reais e setenta e nove centavos) cerca de US$.667,39 (seiscentos e sessenta e sete dólares e trinta e nove cents).
      É um dinheirão. Infelizmente neste nosso país tem gente que não ganha por mês o que ela paga para o plano de saúde.
      O que espero em troca é ter o mínimo trabalho possível, entretanto não é isso que acontece.
      Deixe-me ser mais clara. Toda vez que uma das auxiliares está de folga a empresa PRONEP, que recebeu a grade de folga com antecedência, quero deixar isto bem claro, aquela empresa que dá informação de eficiência utilizando o nome JOIT COMMISION INTERNACIONAL diz em sua PROPAGANDA: “A Pronep recebeu o selo de qualidade da Joint Commission International, uma das organizações certificadoras mais reconhecidas em todo mundo em 2007, reconfirmado em 2010 (entre no site da JCI – http://www.jointcommissioninternational.org – e veja em companhia de quais organizações mundiais a Pronep se encontra), não consegue, antecipadamente, tranquilizar os familiares, enviando profissional.
      Toda vez é o mesmo estresse. Agora são 23h52min do dia 19 de maio de 2012 e a enfermeira que trabalha para a PRONEP enviou a planilha de folga no início do mês de maio, não conseguiu nenhuma auxiliar para cobri-la amanha, dia 20.
      E isto se deu não por falta de cooperação da familiar que sou eu. Resido numa área próxima a São Paulo, cerca de 12 ou 13 km. , e a empresa PRONEP tem algumas profissionais que residem próximo a minha residência.
      Cada vez que uma pessoa diferente vem aqui, eu anoto seu nome e telefone para em caso de necessidade e substituição as profissionais adoentadas eu possa auxiliar indicando estas pessoas.
      Contudo, apesar desta minha atitude, nada tem sido fácil.
      Desta última vez, na quinta-feira passada, dia 17, na parte da manhã entrei em conta com o funcionário responsável pela administração do home de Dalila Santos Magnani, Wagner e falei que havia uma profissional que residia próximo a minha casa e, em vista, da folga da auxiliar, no domingo próximo, daqui a pouco, dia 20 de maio de 2012, se poderia chamá-la para substituir a auxiliar em folga.
      Pois é senhores, estamos quase á meia noite do dia 19 e nada foi feito.
      A falta de logística, gestão, responsabilidade, consideração, atenção e mais tantos outros adjetivos que possa colocar nesta frase é de tal tamanho que não caberia aqui.
      Minha indignação é tanta que como profissional de direito não poderia deixar de manifestar-me de forma pública o que estou sentindo.
      De fato, me sinto rendida. Vivo num país em que se não buscarmos nossos direito e não exigirmos nada é feito.
      Não basta confiar nas entidades e profissionais.
      Deixo um alerta a todos vocês, caso venham a passar pelo que estou passando ultimamente não desistam.Mesmos que isto custe à saúde de todos, como está custando a minha.
      Hoje liguei diversas vezes para a empresa PRONEP falei com as Sra.Cristiane Toledo, Jéssica Oliveira e Cristina Lima, bem como com o Sr. Wagner Araújo que é gerido pela Sra. Michele Duarte e até a presente data, NADA FOI RESOLVIDO.
      Ah, sabe aquela profissional que indiquei , foi enviada para outra residência e a nossa está descoberta.
      O que possa falar a empresa Joint Commisson International:
      A PRONEP ESTÁ LONGE DE SER ESTE MODELO DE EFICIÊNCIA QUE VOCES PENSAM
      O que posso falar a Sul América:
      SOLICITO A MUDANÇA DA EMPRESA PRONEP e se fosse vocês faria uma auditoria na empresa para saber onde o (MEU e tantos outros assegurados) dinheiro está sendo empregado, ou melhor, faria uma pesquisa de satisfação aos clientes da Sul America saúde.
      O que posso falar para os futuros clientes assegurados de qualquer plano de saúde:
      Não contrate a PRONEP, procurem uma empresa de home care de qualidade e que passe confiança e tranquilidade aos familiares dos pacientes.
      O que poderia falar aos diretores da PRONEP:
      Trabalhem com maior seriedade, dedicação e responsabilidade. Todo familiar de paciente já lida, normalmente, com uma situação de estresse. Não precisar, além disso, preocupar-se com falta de planejamento e treinamento de profissionais.
      Caso alguém queria falar comigo estou a disposição no email: monicamdonato@uol.com.br
      Com indignação pelos serviços não prestados

      Mônica Magnani Donato
      OAB/SP n.98.663

      Reply
    • Rita Isnard
      28/04/2014

      Mônica, como você também sou advogada e filha de uma paciente atendida por Home Care, por força de decisão judicial.Resido no Rio de Janeiro e já passei por ENORMES dificuldades exatamente como as descritas por você.No Rio, já utilizei a ProLar e AXX, ambas terríveis,As suas criticas servem como luva para essas empresas.Por fim, pergunto, existe uma empresa de Home Care de qualidade? Caso alguém possa recomendar aguardo ansiosamente.
      Rita Isnard

      Reply
    • ilara
      21/08/2014

      Há, alguem que possa me falar da CarioCare, pretendo usar dos seus cuidadores de idosos

      Reply
    • Simone
      28/03/2015

      Também tive os mesmos problemas com a Pronep…Precisamos contratar cuidadoras extras para não ficarmos “na mão” o que aconteceu com bastante frequência…Infelizmente estamos reféns de profissionais descompromissados.

      Reply
    • marcio
      19/05/2015

      nunca vai existir uma gestao eficiente neste tal home care…simples o tec e quem arca com a maiir respo sabilidade…trabalha via cooperativa …mal remunerado sem direito ate mesmo trasnporte trabalha por trabalhar e qualquer mitivo joga tudo pro alto tendo em vista que n compensa a rwmuneracao quando atentarem ao recurso humano ai muda…este sistema cooperado e um sistema falido so nao ver quem nao quer…um tec satisfeito bem remunerado e c seus direitos fas toda diferenca…agora 160,00 por plantao de 24 horas…passagem e as vezes alimentacao arcada do proprio bolso sem direito a nada eles trabalham a moda bangu infeliesmente essa vdd

      Reply
      • josi
        03/11/2015

        pois e sou técnica d enfermagem , trabalho em home care já toh até 3 anos , faço o meu trabalho c todo amor e dedicação mas a remuneração é tão pouco q mim vi obrigada a pegar outra escala .A home care ganha muito em cima d nos técnicos d enfermagem,é desanimador ..temos q tirar pra passagem pra comida e tem desconto d nas e as vezes umas taxas q eles enventa , pra pegar mas dinheiro do q eles já pegam…

        Reply
    • Gilberto B Cortes
      02/06/2015

      Pessoal, lamento muito a dificuldade encontrada. Estou sendo atendida por uma empresa de São Paulo (na verdade, para meu pai) e até o momento (06 meses e alguns dias) o serviço está realmente muito bom. Os profissionais são muito compromissados e o atendimento do escritório deles é realmente eficiente. Naturalmente não podemos deixar de lado que é um serviço difícil, mas quando se tem uma empresa realmente pensando no ser humano, tudo fica menos difícil. A empresa que está atendendo meu pai chama-se Assist Care. Eu recomendo.

      Reply
      • Alvaro Miranda Rodrigues
        25/02/2016

        Meu filho esta sendo atendido por uma empresa no Rio de Janeiro e desde o início do atendimento o serviço é muito bom. Equipe comprometida e humana, não tenho do reclamar. Atendimento rápido e competente em todas as situações, eu e minha mulher nos sentimos seguros.
        Indico a Equilibrio Care!

        Reply
    • Luciana
      26/07/2016

      UNIMED Há mais ou menos três anos tenho problemas com os prestadores de home. Care enviados pela Unimed.
      Até oxigênio faltou.alguém mais está insatisfeito deixo o meu email lummiguel@bol.com.br
      Prestadores Qualit Life hospitalar Medical confiare
      Tds trabalham com técnicos sem vínculo de trabalho.
      Minha mãe está em condições de alta há 54 dias e a Unimed devido as reclamações feitas se nega a tirar minha mãe do hospital dizendo que e zelo demasiado da minha parte. Absurdo.

      Reply
      • Mauro Sandro
        10/11/2016

        Seu plano é de abrangência nacional? Todos os pacientes de planos federais e planos privados tem direitos e deveres com Home Care, mover uma ação com relação ao plano muitas vezes é a unica saída, não existe liminar desfavorável ao familiar com necessidade de Home Care, o que há são advogados que não tem compromisso com as causas, não sou advogado, mais acompanho os processos de home care há mais de 10 anos, e não vi uma boa ação perdida até hoje, além disso, é atendido em no máximo 72 horas, quem quiser entrar em contato, estou a inteira disposição, cursos.prof.mauro@hotmail.com. Vou criar um face somente pra falar sobre esse assunto que tanto cresce no Brasil.

        Reply
    • Gisea
      16/08/2016

      Caros leitores, venho aqui responder como prestadora de serviços de Home Care, a empresa a qual gerencio não tem relação alguma com a Pronep ou outras empresas citadas, inclusive estamos no estado do Paraná. Não estou defendendo nenhuma dessas empresas, apenas gostaria de expor como administradora o lado difícil do empregador atualmente neste país.
      Da contratação dos profissionais segundo as leis trabalhistas :
      Estes não podem ser prestadores de serviços (cnpj), não podem ser cooperados (e não é viável financeiramente) e não podem trabalhar como autônomos ( modelo mais usado atualmente), restando apenas a modalidade de CLT, este não é viável financeiramente, pois o custo fica tão encarecido que é mais barato a própria família do paciente registrar e administrar o funcionário.
      Sobre o modelo de trabalho autônomo:
      O profissional não deve ter subordinação, não pode ter frequência, o trabalho deve ser eventual, o pagamento não pode ser mensal, ou seja, para que a empresa trabalhe com o profissional nesse modelo, deve-se realizar a troca de colaboradores diariamente, isso é algo desgastante para o paciente e familiares, mas se caso um profissional conseguir provar que trabalhava 3 vezes por semanal no mesmo endereço, já é ganho de causa.
      Agora imagine um paciente que requer cuidados 24 horas, quantos profissionais ? Sem mencionar, a subordinação que não pode ocorrer. Como gerenciar uma equipe dessa maneira.
      Infelizmente as leis trabalhistas só beneficiam o trabalhador.

      Reply

Leave a Reply to Rita Isnard Cancel reply

%d bloggers like this: