Empresa de HC cobra dívida de R$ 3,5 mi e pode cortar serviço

Por Alexandra Lopes e Jacques Gosch.

A empresa de Home Care Help Vida, que tem contrato com a Secretaria Estadual de Saúde (SES) para a prestação de serviços de Home Care, com atendimento na casa dos pacientes, alerta que a interrupção no prazo de 48h devido ao não pagamento pode causar prejuízos irremediáveis aos tratamentos de 50 pessoas. A dívida acumulada desde janeiro ultrapassa os R$ 3,5 milhões.

“A capacidade da empresa em trabalhar sem receber pelos serviços prestados esgotou-se e seus fornecedores estão suspendendo a entrega de suprimentos para o atendimento dos pacientes, o que resultará na suspensão dos serviços e em severos prejuízos aos pacientes, não podendo ser descartada a ocorrência de óbitos”, diz trecho do oficio protocolado na SES.

No ofício, a Help Vida alega ainda que por conta da dificuldade em pagar fisioterapeutas, fonoaudiólogos, e médicos não é possível garantir que os serviços continuem. Isso porque muitos profissionais já se recusam a trabalhar porque estão com os salários atrasados.

A Help Vida também diz que houve promessas para regularização dos pagamentos. No entanto, ainda não foram efetuados para a empresa regularizar a situação junto a fornecedores e funcionários.

“Diante do exposto, solicitamos a V.Sa que adote as medidas necessárias para que sejam efetuados os pagamentos de todos os serviços prestados cujos pagamentos encontram-se atrasados, no prazo máximo de 48h, permitindo-nos realizar as compras de medicamento e oxigênio para a próxima entrega, a fim de garantir que a empresa possa continuar o atendimento com as condições necessárias para o sucesso do tratamento dos pacientes, evitando que a interrupção dos serviços ocasione a morte dos pacientes e prejuízos ao erário com aplicação de multas”, concluiu o ofício.

Além dos mais de R$ 3,5 milhões, as notas de abril, entregues a SES no início de maio, também não foram pagas. Neste caso, o valor ultrapassa R$ 1,3 milhão.

Outro Lado

Pela assessoria, a SES alega que o governo está definindo plano emergencial para regularizar o pagamento de todos os serviços de saúde prestados no Estado. Reconhece ainda dívida com outra empresa de Home Care que atende pacientes em Mato Grosso. Por fim, informa que licitação de ampla concorrência, para contratação de novas empresas do ramo, está sendo aberta. O objetivo é garantir que os usuários do SUS tenham maior acesso ao serviço.

Deixe uma resposta

%d bloggers like this: