O enigma da dor

Psicanalista do Instituto de Psicossomática de Paris vem ao Rio para falar sobre os enigmas da dor nos dias 24 e 25 de abril.

A Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro (SBPRJ) recebe a psicanalista Marilia Aisenstein nos dias 24 e 25. Ela é membro de duas importantes sociedades de psicanálise europeias, a de Paris e a de Atenas – sua cidade de origem –, integra o Instituto de Psicossomática de Paris (IPSO), o qual já presidiu, e é autora de capítulos e livros sobre psicossomática e sobre hipocondria, além de mais 100 artigos em revistas internacionais.

No dia 24, às 20h45, a presidente da SBPRJ, Wania Cidade, e a diretora do Conselho Científico, Ana Sabrosa, fazem a abertura do encontro com Marilia Aisenstein, que na sequencia discute casos clínicos apresentados pelas psicanalistas da SBPRJ Margaret Binder e Sônia Bromberger, que integram o Instituto de Psicossomática-RIO, com coordenação de Viviane Frankenthal, vice-presidente da SBPRJ.

No dia 25, às 21h, Marília faz conferência com o tema ‘O enigma da dor’, com tradução consecutiva do psicanalista Admar Horn, membro do Instituto de Psicossomática de Paris e coordenador do Instituto de Psicossomática-RIO (IPSO-Rio) e debates coordenados pela psicanalista Angela Moura.

Marilia é membro do Conselho Editorial da “Revista Francesa de Psicanálise”, co-fundadora e editora da “Revista Francesa de Psicossomática. Em 1992, ela recebeu o prêmio Maurice Bouvet, concedido ao melhor trabalho de psicanálise publicado na Revista Francesa de Psicanálise.

A psicanalista Margaret Binder, que concluiu sua formação e recentemente foi admitida como membro titular do Instituto de Psicossomática de Paris, explica que estamos vivendo num mundo de excessos, de muita pressa, estresse absoluto, onde o pensamento e a palavra acabam ficando em segundo plano, muitas vezes sendo substituídos por “uma fala com o corpo”, e a discussão sobre a dor e a psicossomática é muito pertinente.

“Nos nossos consultórios raramente chegam pacientes que não tragam também questões orgânicas, sintomas físicos além das queixas emocionais. E a dor é um dos sintomas mais frequentes.  Muitas vezes a dor física está contando a história de uma dor psíquica que até então não pode ser sentida, pensada e elaborada. Além disso, a dor nos avisa de que algo não vai bem.  Nos avisa que precisamos ficar atentos ao nosso corpo e às nossas emoções”, relata Margaret Binder.

Os encontros com Marilia Ainsentein são voltados a profissionais da área de saúde e outros interessados. Informações sobre inscrições estão no  sitewww.sbprj.org.br e também podem ser obtidas pelos telefones 21 25371115 /25371333 ou por e-mail para tesourariasbprj@sbprj.org.br

A SBPRJ fica na rua David Campista, 80, Humaitá, RJ.

Deixe uma resposta

%d bloggers like this: