Programa Melhor em Casa começa a ser implantado em Petrópolis

Club Card Saúde

O programa Melhor em Casa começará a ser implantado no fim deste  em Petrópolis. Os últimos detalhes para o atendimento médico nos domicílios foram acertados em reunião entre o secretário de Saúde, Silmar Fortes e o prefeito Bernardo Rossi terça-feira (07.03). O projeto aprovado pelo Ministério da Saúde disponibiliza a Petrópolis o recurso de R$ 156 mil mensais para o custeio do programa formado por equipes com 26 profissionais entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e fisioterapeutas para as equipes de atenção domiciliar e fonoaudiólogo, nutricionista, psicólogo e assistente social para as de apoio.

O programa do Ministério da Saúde visa levar atendimento médico às casas de pessoas impossibilitadas de se locomoverem até as unidades, evitando internações hospitalares desnecessárias e as filas dos serviços de urgência e emergência.

O Melhor em Casa contará com três Equipes Multiprofissionais de Atenção Domiciliar (EMADs) e uma Equipe Multiprofissional de Apoio (EMAP) com sedes instaladas nas Unidades Básicas de Saúde: Quitandinha, Itamarati e Itaipava. O prefeito Bernardo Rossi explicou que os pontos foram escolhidos devido à uma exigência do Ministério da Saúde.

“Essa é mais uma conquista para Petrópolis que passará a contar com um serviço de assistência domiciliar, facilitando o atendimento não só de pessoas acometidas por doenças crônicas ou em situação pós-cirúrgica, como também portadores de deficiência e idosos. As EMADS foram distribuídas entre essas unidades por cobrirem o atendimento médio de 100 mil habitantes, exigência do Ministério da Saúde, e assim conseguiremos assistir a população de todo o município”, anuncia o prefeito.

A Secretaria de Saúde já formou duas equipes que passam a atuar já no fim deste mês, o Secretário de Saúde, Silmar Fortes, explicou que para formar a terceira equipe a Saúde convocará os concursados aprovados que trabalharão de segunda a sexta-feira, 8 horas por dia e em regime de plantão nos fins de semana.

“Assim que o projeto foi aprovado pelo Ministério da Saúde, nós criamos um fluxo de atendimento, em teste, em que toda sexta-feira uma equipe pequena é destinada para atendimento domiciliar. A partir deste cronograma vamos iniciar as ações com as EMADS já formadas. Nos próximos dias vamos priorizar os treinamentos e a convocação dos concursados para compor a última equipe do projeto. Os atendimentos e a freqüência serão definidos conforme o estado clínico e avaliação do paciente”, explica Silmar Fortes.

Para participar do Programa Melhor em Casa, o paciente deverá preencher um cadastro com a indicação de um cuidador, que poderá ser ou não um membro da família. Silmar Fortes explicou que haverá treinamentos e oficinas de capacitação para cada acompanhante.

“Precisamos ter garantias que esse paciente será bem assistido em casa. Então ele vai precisar de um cuidador para acompanhá-lo, para só assim as visitas dos profissionais do programa sejam autorizadas. O programa traz benefícios como a humanização da atenção, menor exposição à infecção hospitalar, maior conforto para o usuário e sua família e maior autonomia do cuidador e do paciente. Isso diminui a necessidade e a freqüência de internações hospitalares. Esse fato também auxilia na disponibilização de leitos para os usuários que necessitam de internação hospitalar mais urgente”, aponta o secretário.

Petrópolis hoje conta com 1.218 leitos na rede e uma média de 1.600 internações por mês. Nos atendimentos de urgência e emergência, mensalmente as UPAS (Centro e Cascatinha) acumulam mais de 18 mil atendimentos.

Deixe uma resposta

%d bloggers like this: