Três maneiras de vencer a escassez de mão-de-obra qualificada

É fato que as empresas de home care e de enfermagem domiciliar enfrentam problemas com falta de mão de obra qualificada. O que não é tão claro é o que as empresas podem fazer sobre isso.

No entanto, isso não quer dizer que os profissionais desse segmento não estão tentando resolver o problema. Um painel de especialistas conduzido por um gestor de empresa americana compartilhou estratégias de recrutamento vencedoras para provedores de serviços de atenção domiciliar.


Aqui estão algumas dicas:

Criar uma Escada de Carreira

Muitos empresas têm procurado atrair e manter trabalhadores selecionados. Entretanto, até 60% da força de trabalho ativa de uma empresa típica está procurando por um novo emprego ou está aberta discutir uma nova oportunidade, comenta a Chefe de recrutamento da empresa Bayada Home Health Care, Melinda Phillips, um dos maiores provedores de atenção domiciliar americano.

“Eles não estão saindo porque são infelizes, estão indo para uma nova oportunidade”, explicou Phillips.

Para evitar que trabalhadores destacados saiam, os prestadores devem mostrar que existem maneiras de crescer dentro da empresa. Caso contrário, é provável que esses empregados estejam fora nos primeiros três anos de emprego.

“Nós temos que … enfatizar uma visão de que existe um futuro profissional quando o se entra na casa do paciente”, disse Phillips. “Há oportunidades de crescer, tornar-se um educador, ajudar os outros”.

 

Aproveitar os recursos laborais

Uma das maneiras mais simples de reter os trabalhadores é impulsionar os salários, de acordo com Randy Richardson, presidente de outra empresa local. Quando isso não é possível devido a restrições orçamentárias, os prestadores também podem considerar uma proposta reestruturação do organograma da empresa.

Richardson aponta para um “experimento criativo” em uma empresa chamada Abe’s Garden, comunidade autônoma de cuidados domiciliares.

Basicamente a empresa se reestruturou e cortou empregados, porém, em contrapartida, os funcionários que ficaram obtiveram um aumento e assumiram novas responsabilidades, explicou.

“Nós dissemos a eles: estamos pagando mais dinheiro, mas você terá que fazer o seu trabalho de forma diferente”, lembrou Richardson. “Eles foram capazes de cortar funcionários e continuar fazendo o mesmo trabalho, garantindo salários mais altos para os funcionários que ficaram”.

 

Tente uma Agenda Fixa

Embora saibamos que os profissionais geralmente podem preservar uma agenda fixa na residência, muitos outros fatores contribuem para problemas de trocas de escalas entre os técnicos de enfermagem, por exemplo fazendo que o técnico acabe por ficar itinerante.

Atuar sobre a capacitação o profissional é requisito básico para assegurar que sua atuação dentro da casa seja perene e continuada.

Deixe uma resposta

%d bloggers like this: