Atendimento Domiciliar Odontológico

Home Notícias Atendimento Domiciliar Odontológico
Atendimento Domiciliar Odontológico

A Assistência Domiciliar Odontológica vem cada vez ganhando espaço em casa, pela capacidade de oferecer cuidado preventivo odontológico, para prevenção de cárie e doenças periodontais, principalmente àqueles pacientes que já recebem o atendimento médico no domicílio – Home Care –. Na assistência odontológica domiciliar, o profissional dentista pode ser incorporado à equipe multiprofissional de saúde, ampliando os cuidados ao paciente.

Dra. Thaís de Souza Rolim, cirurgiã-dentista, é especialista no tema e a mais nova colunista do Conexão Home Care e abordará o Atendimento Odontológico Domiciliar periodicamente.

Leia artigo abaixo.

 

ATENDIMENTO ODONTOLÓGICO DOMICILIAR (HOME CARE)

Introdução

São considerados Pacientes com Necessidades Especiais aqueles que apresentem qualquer tipo de condição que os faça necessitar de atendimento diferenciado por um período de tempo ou por toda sua vida.

Nesse grupo estão incluídos os portadores de doenças metabólicas como o diabetes, alterações dos sistemas como a hipertensão, condições transitórias como gravidez, pessoas que perderam sua condição de normalidade como as vítimas de acidentes, os idosos, os portadores de deficiência física e/ou mental, entre outros.

O atendimento odontológico domiciliar deve ser sempre realizado em conjunto com a família e por profissional capacitado. Estas pessoas têm necessidade aumentada para o cuidado preventivo odontológico, para prevenção de cárie e doenças periodontais.

As infecções odontogênicas desempenham um importante papel na rotina odontológica, devido ao risco de disseminação e as graves complicações que podem gerar.

A maioria destes pacientes não apresenta plena capacidade de realizar seus cuidados bucais, necessitando da ajuda de outras pessoas. A participação de familiares ou responsáveis nestes cuidados é fundamental para o sucesso do tratamento odontológico e para promoção da saúde bucal do paciente.

Os portadores de deficiências neuropsicomotoras muitas vezes apresentam doenças bucais que comprometem seriamente os dentes levando à sua perda. São pessoas que geralmente não têm habilidade para promoverem uma higiene oral satisfatória e muitas vezes não permitem que outras pessoas a façam, ou a façam de maneira inadequada, ou mesmo por apresentarem movimentos involuntários que dificultam a higienização.

A primeira abordagem odontológica deve ser composta de uma aproximação com o paciente e com algum familiar assim como o conhecimento das condições médicas preexistentes. Salienta-se que muitos destes pacientes apresentam complicações orgânicas.

Muitas condições sistêmicas e o uso de medicamentos podem afetar a resposta do organismo à infecção. Estas condições podem afetar a capacidade do paciente de eliminar o agente infeccioso

Observa-se a importância do cirurgião-dentista orientando o paciente e seus familiares e promovendo a prevenção de focos infecciosos bucais.

 

Proposição

O objetivo do atendimento domiciliar é a prestação de serviço odontológico diferenciado, dispondo de cuidados específicos, por profissional habilitado.

Evita-se, assim, o deslocamento do paciente de sua residência ao consultório, o que minimiza o risco de aparecimento de dor ou infecção. Neste contexto, o atendimento odontológico colabora para se evitar que o paciente se debilite ou se agrave o estado de sua saúde geral.

Este serviço também é direcionado para executivos e demais pessoas que não possuem disponibilidade de horário para se deslocarem até o consultório. É possível realizar diversos tipos de tratamentos dentários no conforto de sua casa ou escritório.

Os pacientes são submetidos inicialmente a uma anamnese, em que consta todo histórico de saúde geral e bucal e em seguida o exame clínico extra e intra-oral.

Os aparelhos odontológicos são adaptados e transportados até o local onde o paciente se encontra, permitindo realizar diversos procedimentos odontológicos como prevenção, restauração, periodontia, exodontia, ajuste de próteses, mantendo os padrões de segurança.

Após a finalização do tratamento, o paciente será acompanhado a cada 6 meses para realização de prevenção e reforçando a orientação para a correta higiene bucal. Esses retornos também irão depender da saúde bucal na qual o paciente se encontrava.

 

Doenças da cavidade bucal

 1. Placa bacteriana

A placa bacteriana é uma massa pegajosa, incolor, formada por bactérias, que se depositam sobre as superfícies dos dentes e ao redor da linha da gengiva.

As bactérias contidas na placa bacteriana decompõem os resíduos alimentares acumulados, principalmente o açúcar, produzindo ácidos que destroem o esmalte do dente, formando cavidades que chamamos de cárie.

A placa bacteriana pode ser removida com o uso de escova e fio dental.

Se a placa não for removida, ela penetrará entre os dentes e a gengiva, causando inflamação, inchaço e sangramento da gengiva, o que chamamos de Doença Periodontal ou Gengivite.

 

2. Cárie

A cárie é uma doença infecto-contagiosa e multifatorial que depende dos seguintes fatores: microorganismos cariogênicos, dieta contendo sacarose, do hospedeiro suscetível interagindo em condições críticas e do tempo. Esta patologia está relacionada diretamente com a placa bacteriana aderida à superfície dentária.

Estando a placa bacteriana comumente relacionada à cárie e à doença periodontal por abrigar os microorganismos que lhe dão origem, deve-se dar grande ênfase à prevenção.

 …

 …

Dra. Thaís de Souza Rolim é Cirurgiã-dentista (CRO 76.422), pós-graduada em pacientes com necessidades especiais pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina (USP). Contatos: thais@dentistahomecare.com.br e www.dentistahomecare.com.br

 

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.