LOGÍSTICA Domiciliar, por João Neri

Home Notícias LOGÍSTICA Domiciliar, por João Neri
LOGÍSTICA Domiciliar, por João Neri

Coluna escrita por: João Neri, Gestor Logístico da empresa Vidas Home Care

Publicada em 28/09/2012.

Atualmente o cenário logístico na prestação de assistência domiciliar é de amplo crescimento e profissionalização, a fim de  atender a demanda crescente  nos serviços de Home Care, com a exigida qualidade  e pontualidade no cumprimento dos prazos estipulados. Para tanto , após o devido reconhecimento da importância deste setor no segmento, é de fundamental importância  investimento na área, que se traduz em um pilar significativo para o produto final do serviço.

Os investimentos com contratação de pessoal qualificado e treinado,  tecnologia  com novos programas de controle de rotas, equipamentos de localização(GPS) e todas as outras novidades agregam valor significativo .

As empresas de assistência domiciliar precisam encontrar o ponto ideal no tempo de seus serviços, ou seja, ter uma equipe integrada sistematicamente como um órgão vital, pois  assim, esta sinergia resultará na equação onde será possível: Atender a tempo e a contento seus Clientes e usuários, desonerando o sistema e possibilitando maior retorno financeiro, assim como uma melhor parceria atuando como ferramenta de gestão à Operadora e planos de saúde.

Em grandes centro urbanos como São Paulo, este desafio torna-se  ainda maior, pois temos os problemas de uma metrópole com suas distancias e o agravante de um transito caótico, onde só conseguimos atender nossas urgências com a  utilização de motoboys, onde a limitação do volume a ser dispensado exige análise crítica e dispensação com tempo resposta hábil a planejarmos o melhor recurso(Carros , motos, postagem, serviço log) para a respectiva entrega. Algumas estratégias são adotadas, tais como, otimização de  entregas maiores em horários de menor transito, criação de rotas específicas por regiões.

E para que funcione com uma boa integração a cadeia de atendimento, suprimentos e estoque de uma empresa, deve ser programada para atender suas necessidades e eventuais picos de atendimento ou faltas no mercado, para isso deve-se prever um estoque mínimo, mediante curva A, B, C além de  um estoque de segurança onde através de novas requisições,iniciem-se um novo processo na área logística.

Vale salientar a importância sumária da alocação logística da mão de obra que deve percorrer o menor trajeto possível para viabilizar o atendimento seja de equipe de enfermagem, médica, fisioterapeutas, fonoaudiólogo, nutricionistas, entre outros

Nossa experiência em atendimento domiciliar nos leva á concluir que somente à qualificação da equipe multidisciplinar interna e externa composta  geralmente por uma gama complexa e variável de profissionais de saúde não e suficientes para legitimar a eficiência do serviço e necessário estar munidos de  ferramentas de comunicação de campo, através de Rádios, Telefones Celulares, Tablets, Notebooks e um ótimo sistema operacional(ERP) para nos auxiliar alem da gestão da equipe interna em contato direto com estes profissionais para assegurar que todos apresentem-se ao destino do atendimento  em tempo real , incluindo suporte médico a distancia e acionamento de ambulâncias caso seja necessário, não podendo ignorar  que nosso cliente de saúde sempre estará necessitando de um atendimento com foco na saúde, um medicamento ou um material especializado e por esta razão nossa equipe deve ter plena consciência e muito bom censo das necessidades do nosso cliente de saúde que muitas das vezes podem ser vitais.

 

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.