Health by Conexão Home Care
Estratégias

Mais qualidade de vida ao Idoso

O programa Melhor em Casa atende pessoas em casa, com dificuldades de locomoção, em sua maioria com idade acima dos 60 anos

Desde o seu lançamento, em novembro de 2011, o programa já habilitou 400 Equipes Multiprofissionais de Atenção e 167 equipes multiprofissionais em 20 estados, alcançando 107 municípios. Deste total, 132 EMADs e 58 EMAPs já estão atendendo a população em 60 municípios de 17 estados.

“O Melhor em Casa está reabilitando os pacientes em domicílio, garantindo a continuidade do tratamento integrado à rede de atenção à . Além disso, o programa possibilita a redução da internação hospitalar e reduz o tempo de permanência dos usuários internados”, explica o coordenador do programa Melhor em Casa, Aristides Oliveira.

O custeia as equipes principais com o valor de R$ 34,56 mil mensais e R$ 6 mil/mês por equipe de apoio. Até 2014, o investimento total é de R$ 1 bilhão, para implantação de mil equipes de Atenção Domiciliar e outras 400 equipes de apoio.

 

INVESTIMENTOS: O Ministério da Saúde já destinou ao programa Melhor em Casa, antes de completar um ano de existência, R$ 25,84 milhões aos estados e municípios que possuem equipes de Atenção Domiciliar implantadas. O programa também continua em plena expansão.

 

ASSISTÊNCIA: As equipes multidisciplinares fazem atendimento durante toda a semana (de segunda a sexta-feira), 12 horas por dia e, podendo ser em regime de plantão nos finais de semana e feriados. Cada equipe pode atender, em média, 60 pacientes, simultaneamente. Cada paciente recebe, em média, uma visita semanal.

As equipes são formadas, prioritariamente, por médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e fisioterapeuta ou assistente social. Outros profissionais como fonoaudiólogo, nutricionista, terapeuta ocupacional, odontólogo, psicólogo e farmacêutico, além de fisioterapeuta e assistente social poderão compor as equipes de apoio.

O programa Melhor em Casa ajuda a reduzir internações desnecessárias e filas dos serviços de urgência e emergência, já que a assistência, quando há indicação médica, passa a ser feita na própria residência do paciente, desde que haja o consentimento dele e da família. Até 2014, serão implantadas equipes em todos os estados brasileiros.

Fonte: ASCOM/Ministério da Saúde

Publicações relacionadas

Os desafios e consequências da Esclerose Lateral Amiotrófica

População de idosos triplicou, mudando também o jeito de cuidar

Conexão Home Care

MPT pede relação de empresas de Home Care

Deixe uma resposta

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Acreditamos que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais.

Política de Cookies e Privacidade
%d bloggers like this: